Ultimas Notícias
Operação Tarja Preta: MP denuncia ex-prefeito de Pires do Rio e mais três por crimes de corrupção
11/07/2019
     O Ministério Público de Goiás ofereceu denúncia contra o ex-prefeito de Pires do Rio Luiz Eduardo Pitaluga Cunha pelo crime de corrupção passiva, e contra os empresários Edilberto César Borges, Milton Machado Maia e Vanderlei José Barbosa, todos estes pelo crime de corrupção ativa e ainda o advogado Tomaz Edilson Filice Chayb, por violação à Lei de Licitações, pela inexigibilidade de licitação fora das hipóteses previstas na norma. A denúncia já foi recebida pelo juiz criminal de Pires do Rio, José dos Reis, e os denunciados já são considerados réus. A pena pelos crimes de corrupção ativa e passiva é de 2 a 12 anos de prisão, enquanto para o crime previsto da Lei de Licitações, conforme o artigo 89, é de 3 a 5 anos.

     Corrupção ativa e passiva

     Conforme o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a 1ª Promotoria de Justiça de Pires do Rio, responsáveis pelo caso, a denúncia é resultado de investigações promovidas no âmbito da Operação Tarja Preta, que investigou fraudes e corrupção na aquisição de medicamentos e produtos hospitalares e odontológicos em várias cidades de Goiás, incluindo Pires do Rio. Os fatos ocorreram no ano de 2012.

     De acordo com o MP, o ex-prefeito, conhecido na cidade como Gudi, recebeu vantagem indevida no valor de R$ 31.500,00 para beneficiar empresas do ramo hospitalar ligadas aos outros denunciados, Vanderlei José Barbosa, Edilberto César Borges, Milton Maia, respectivamente administradores das empresas Ideal Hospitalar e J. Médica, sendo Edilberto também sócio da empresa Pró-Hospital.

     O oferecimento e recebimento da vantagem ilícita se deram para que Luiz Eduardo, na condição de prefeito, promovesse a dispensa de licitação para aquisição emergencial de produtos hospitalares, farmacêuticos e odontológicos. Apurou-se que o dinheiro foi efetivamente recebido pelo ex-prefeito em conta bancária de um posto de gasolina de Pires do Rio do qual era sócio.

     Violação à Lei de Licitações

     Outra parte da denúncia imputa ao ex-gestor o crime de contratação irregular do advogado Tomaz Chaib. Apurou-se que a contratação foi um favorecimento ao advogado com o qual o ex-prefeito mantinha relações profissionais e de amizade. Além disso, Tomaz atuava na intermediação do esquema de contratação indevida das empresas hospitalares e farmacêuticas. (Cristiani Honório /Assessoria de Comunicação Social do MP-GO - Fotos: João Sérgio)


COMENTÁRIOS
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
Quanto é 5 + 9Responda:

Mais Recentes

AINDA NÃO HÁ NENHUM COMENTARIO, SEJA VOCÊ, O PRIMEIRO A COMENTAR...

Fique Ligado
Mobilização Municipalista em Brasília 2019

MISS e MISTER Estudantil 2019

Ser Natureza conclui etapa e inicia novas ações para recuperação de manancial em Pires do Rio

Sarau de Poesia no CEMB

Safra de grãos deve fechar 2019 com crescimento de 5,9% , diz IBGE

STJ confirma sentença que condenou supermercados de Catalão por venda de produtos vencidos

Pernambucanas voltam ao interior de Goiás com nova loja em Caldas Novas

Igreja de Deus no Brasil comemora 70 anos em Pires do Rio e 133 em Goiás e recebe homenagens

Jornal
do Sudeste
MENU