Ultimas Notícias
Recomendação do MP visa coibir gastos de verba pública com festividades em Orizona
25/08/2019
     Trevo de entrada da cidadeO Ministério Público de Goiás recomendou ao prefeito de Orizona, Joaquim Marçal, que não faça despesas com a contratação de eventos artísticos e culturais para o 3° Festival da Cachaça, Gastronomia e Aniversário de 169 anos da cidade, e demais eventos da mesma natureza, incluindo a contratação de artistas, banheiros, montagens de estruturas e outros relacionados à festa. Esta medida deve ser adotada enquanto o município estiver deficiente na prestação de serviços básicos e essenciais à população.

     O festejo está agendado para acontecer entre 12 e 15 de setembro, no estádio municipal. Segundo a divulgação da atividade, a entrada será gratuita, o que indica que o município arcará, sob sua inteira responsabilidade, com o fornecimento de palco, iluminação e camarim, bem como o pagamento de taxas e encargos sobre direitos autorais que possam ser cobrados pelo Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad). Pela programação, serão, pelo menos, quatro shows, instalação de tenda eletrônica e DJ.

     No documento, o promotor de Justiça Lucas César Costa Ferreira adverte que o uso de recursos públicos com o custeio do evento significa que a prefeitura gastará inadequadamente dinheiro público em atividade não essencial, infringindo, portanto, o princípio da moralidade

     .Ele observa que, em 2019, o pagamento dos valores referentes às férias dos professores foi pago em quatro parcelas, evidenciando a crise que vive a administração municipal. A obra da creche do Setor Cinelândia não foi terminada e o cronograma está atrasado, além disso, não há vagas para atender as crianças de Orizona. A prefeitura ainda tem deixado de realizar os repasses ao Fundo Previdenciário dos Servidores Públicos Municipais, sendo inegável a deficiência no atendimento e prestação de serviços básicos e essenciais à população. “A situação reclama reflexão e adoção de providências por parte do gestor, visando evitar gastos e priorizar o uso de dinheiro público em obras e serviços permanentes, urgentes ou prioritários para a população”, alerta o promotor.

     O prefeito tem prazo de cinco dias para informar sobre o acolhimento ou não dos termos da recomendação. (Cristiani Honório / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

     


COMENTÁRIOS
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
Quanto é 9 + 7Responda:

Mais Recentes

AINDA NÃO HÁ NENHUM COMENTARIO, SEJA VOCÊ, O PRIMEIRO A COMENTAR...

Fique Ligado
Mobilização Municipalista em Brasília 2019

MISS e MISTER Estudantil 2019

Ser Natureza conclui etapa e inicia novas ações para recuperação de manancial em Pires do Rio

Sarau de Poesia no CEMB

Safra de grãos deve fechar 2019 com crescimento de 5,9% , diz IBGE

STJ confirma sentença que condenou supermercados de Catalão por venda de produtos vencidos

Pernambucanas voltam ao interior de Goiás com nova loja em Caldas Novas

Igreja de Deus no Brasil comemora 70 anos em Pires do Rio e 133 em Goiás e recebe homenagens

Jornal
do Sudeste
MENU