Ultimas Notícias
Gestão do solo e da água foram debatidos durante Simpósio Ambientalista
17/11/2019
     Situação hídrica de Goiás na pauta dos debatesGestão do Solo e Água em Bacias Hidrográficas do Cerrado e Monitoramento Hidrográfico na Bacia do Meia Ponte foram dois temas das Rodas de Conversa do 22º Simpósio Ambientalista no Cerrado: SOS Cerrado. “Goiás é um Estado conhecido por berço das águas, mas que está se transformando em túmulo das águas”, afirmou o engenheiro florestal Léo Lince do Carmo Almeida, da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater-GO).

     Léo Lince do Carmo explicou que é preciso conhecer e identificar a bacia hidrográfica, seja ela de pequeno, médio ou grande porte, para realizar o planejamento da gestão dos recursos hídricos. Segundo ele, todos os órgãos públicos e toda a população são responsáveis pela administração dos recursos naturais de uma área de drenagem voltada para a produção e proteção de água, incluindo o controle de erosão, de enchentes e a proteção dos aspectos estéticos associados com a presença da água. “Todas as parcerias são importantes para o desenvolvimento e sustentabilidade do plano de gestão dos recursos hídricos”, disse ele.

     Para o conhecimento da bacia hidrográfica, a Emater-GO realiza uma série de diagnósticos, envolvendo análises socioambientais e diagnóstico da vegetação, da água, da fauna e do solo. Também são definidas as áreas de interesse ambiental, como as de preservação permanente (APP), reserva legal, área rural consolidada, leito regular, nascentes, área de impermeabilização, várzea ou planície de inundação e as áreas degradada, alterada, abandonada, de recomposição e pousio, além dos rios perene, intermitente e efêmero. O engenheiro florestal fez também explanação sobre as ações de recuperação de áreas degradadas.

     A analista ambiental Adriane Chagas Santana Oliveira, da Coordenadoria de Assessoramento à Autocomposição Extrajudicial (Caej) do Ministério Público de Goiás (MP-GO), explicou que a crise hídrica tem inúmeras causas e múltiplas soluções. Para ela, é preciso envolver toda a rede de parceiros para alcançar os melhores resultados. O MP-GO funciona, dentro desta rede, como aglutinador, agregador e negociador entre os partícipes da problemática.

     De acordo com Adriane Oliveira, socialização das responsabilidades, pacificação dos conflitos, celeridade na resolução e envolvimento dos parceiros são ferramentas imprescindíveis para a boa gestão dos recursos hídricos. Explicou que, a partir de 2008, o MP-GO tem desenvolvido o Projeto Ser Natureza, um programa institucional que tem obtido resultados progressivos na solução de bacias hidrográficas de vários municípios do Estado. O engenheiro Henrique Luiz de Araújo Costa representou a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - Seção Goiás (Abes-GO) na roda de conversa, que foi coordenada por Leila de Morais Coelho, da Emater.

     O engenheiro ambiental Paulo Henrique de Almeida, da Saneamento de Goiás S.A. (Saneago), afirmou que um dos grandes problemas da bacia do Rio Meia Ponte é o alto índice de impermeabilização do solo nas cidades. Segundo ele, a falta de recarga do lençol freático tem provocado a redução do volume de água disponível para abastecimento humano e atividades agrícolas e industriais.

     A Saneago, de acordo com Paulo de Almeida, tem detectado situações críticas em várias bacias, em qualidade e quantidade de água e falta de gestão. “O monitoramento constante é imprescindível para a busca de soluções. É preciso saber como se comporta o manancial, com a implantação de uma rede de monitoramento eficiente”, afirmou.

     A assessora jurídica da Área do Meio Ambiente e Consumidor do Centro de Apoio Operacional, Camila Santiago Ribeiro, falou sobre educação ambiental na Bacia Hidrográfica do Rio Meia Ponte, ao lado de Leonardo Teófilo, da Secretaria Estadual de Educação, e Thalita Rêgo, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).

     O 22º Simpósio Ambientalista no Cerrado: SOS Cerrado é uma promoção da Sociedade Ambientalista Brasileira no Cerrado (SABC), com apoio do MP-GO e mais outras 36 entidades, com início na manhã desta quarta-feira (13/11), no Auditório Ipê da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO). No evento são discutidos temas ambientais e gestão pública de recursos naturais, entre outros. (Texto: João Carlos de Faria/Fotos: Ícaro Santos – Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

     


COMENTÁRIOS
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
Quanto é 9 + 1Responda:

Mais Recentes

AINDA NÃO HÁ NENHUM COMENTARIO, SEJA VOCÊ, O PRIMEIRO A COMENTAR...

Fique Ligado
Jornal
do Sudeste
MENU