Defesa de João de Deus recorre ao STF
20/12/2018
      A defesa do médium João de Deus entrou com pedido de liberdade no Supremo Tribunal Federal.

        João de Deus está preso preventivamente desde o último domingo (16) em Aparecida de Goiânia.   Ele é suspeito de abusar sexualmente de mulheres durante atendimento espiritual.

        O relator do caso é o ministro Gilmar Mendes, mas devido ao recesso do Judiciário, quem vai decidir se o medium continua preso ou vai para prisão domiciliar é o presidente do STF, ministro Dias Toffoli, responsável pelo plantão.

        Nessa quarta feira, o STJ negou o habeas corpus que pedia a liberdade de João de Deus.

        A prisão preventiva foi decretada pela Justiça de Goiás com base em 15 denúncias já formalizadas em Goiânia, todas por crimes sexuais.

        A força-tarefa montada pelo ministério público do estado já recebeu mais de 500 mensagens relacionadas a denúncias de abuso sexual, inclusive do exterior e de todo o país.

        Também nesta quarta-feira (19), o centro espírita Casa Dom Inácio de Loyola, onde, desde 1976, João de Deus realizava consultas e cirurgias espirituais, foi alvo de buscas e apreensão.

        Policiais civis de Goiás apreenderam mais de R$400 mil e cinco armas de fogo em uma das residências do médium.

        Parte do dinheiro e o armamento estavam guardados no fundo falso de um guarda-roupa em uma das casas dele  na cidade de Abadiânia.Texto e informações Kariane Costa

      Ouça Mais

      Ministro do STJ nega pedido de habeas corpus a João de Deus e afasta segredo de Justiça

     

Untitled Page
JORNAL          SUDESTE