UEG terá foco nos estudantes e na melhoria do ensino
07/10/2019
     Foco total no estudante e sem espaço para “tutela política”. Essas foram garantias dadas pelo governador Ronaldo Caiado, ao confirmar a realização do Vestibular 2020/1 da Universidade Estadual de Goiás (UEG), durante coletiva nesta segunda-feira (7/10), no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia.

     “A figura do estudante é o foco principal da política da UEG. Em uma universidade que sabe da sua responsabilidade, o importante é priorizar a melhoria qualidade do ensino em todo Estado de Goiás. Para que esses jovens venham, amanhã, ocupar a sua posição dentro do mercado de trabalho com seu diploma e o seu conhecimento, com amplas condições de disputar com formandos de outros estados”, pontuou Caiado, ladeado pelo vice-governador Lincoln Tejota e pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Adriano da Rocha Lima.

     Duas questões que afligiam a comunidade acadêmica e a sociedade foram devidamente esclarecidas. Quanto à situação do curso de Medicina Veterinária, do campus de São Luís de Montes Belos, foi publicada no Diário Oficial a nomeação de seis novos professores para dar prosseguimento às atividades.

     “Isso foi uma solicitação feita e imediatamente atendida, dada a importância do curso de Medicina Veterinária para Goiás, cuja economia gira em torno da Pecuária, área em que é referência nacional”, destacou o governador. Outro ponto foi com relação à possível extinção de algumas unidades. “Não teremos fechamento de nenhuma sala de aula. As pessoas podem ficar tranquilas”, garantiu Caiado.

     A UEG só não dará continuidade aos cursos que obtiveram nota 1 no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), obedecendo à norma do Ministério de Educação (MEC). É o caso de Ciências Econômicas, em Itumbiara, e Ciências Contábeis, em Uruaçu, relacionados no resultado do Enade divulgado na semana passada, e que se juntam a outros cincos suspensos anteriormente.

     No entanto, o reitor interino da UEG, Rafael Gonçalves esclareceu: “A suspensão temporária é apenas de vestibular, de entrada de novas turmas. Todos os estudantes que estão na UEG irão se formar no curso em que estão estudando.”

     Uma novidade é a redução no valor das taxas de inscrição. Para a próxima seleção, os valores serão de R$ 180 para Medicina, R$ 120 para Arquitetura e R$ 100 para os demais cursos. “Uma coisa que me assustou foi que, para Medicina, por exemplo, o valor era de R$ 280. Analisando tecnicamente os custos da seleção, essa conta não batia. O vestibular da UEG não é uma máquina de lucro. Ele tem que se pagar e garantir o maior número de vagas possível”, afirmou o reitor. E Caiado reforçou: “Inscrição no vestibular não pode ser confundida com caça níquel para o governo se beneficiar de um gasto que o estudante tem dificuldade de assumir”.

     O governador Ronaldo Caiado enfatizou que o Governo de Goiás hoje prima pela obediência, cumprimento das normas preconizadas pela Constituição Federal e a Constituição do Estado de Goiás, o que implica total respeito à autonomia da UEG, desde o âmbito administrativo até a gestão curricular.

     Também elogiou o trabalho que vem sendo realizado pelo reitor interino, a sua capacidade de diálogo na missão de tranquilizar a todos os estudantes, professores e professoras da UEG. “Resultados positivos já foram obtidos em um curto espaço de tempo. Com 15 dias, o novo reitor já conseguiu avançar e muito”, avaliou.

     Vestibular

     Serão oferecidas cerca de 3.700 vagas, e o candidato poderá escolher até três opções de câmpus para estudar. As inscrições começam o dia 9 próximo e vão até o dia 11 de novembro,  exclusivamente pela internet, no site www.estudeconosco.ueg.br . O vestibular será em uma única fase em que serão aplicadas a prova objetiva e a redação. Os candidatos para o curso de Medicina ainda farão, no mesmo dia, a prova discursiva. Mais informações estão disponíveis no Edital.

     Secretaria de Comunicação

Untitled Page
JORNAL          SUDESTE