Simpósio Ambientalista chega à 22ª edição em Goiânia debatendo meios de preservar o Cerrado
17/11/2019
     Roda de conversa inaugurou programação científicaEsse é um espaço que permite mostrar à população ser possível a sustentabilidade e abre discussões para ampliar as possibilidades de perpetuação das riquezas do Cerrado, afirmou a presidente da Sociedade Ambientalista Brasileira no Cerrado (SABC), Maísa Toledo, ao fazer a abertura do 22º Simpósio Ambientalista no Cerrado: SOS Cerrado.

     Ainda sobre o simpósio, o promotor de Justiça Juliano de Barros Araújo lembrou ter participado da atividade pela primeira vez em 1997, quando era o coordenador do então Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente. E já naquela época, era fonte de difusão de conhecimento e parceria, em período em que era raro falar sobre educação ambiental. A sociedade, então, começou a levar o meio ambiente para a sociedade. Ele recorda também que, um pouco antes, em 1995, foi formada uma rede de entidades ligadas, de alguma forma, aos temas ambientais, cujas atividades foram por um período interrompidas, mas que agora foi retomada.

     Para Juliano de Barros, essa edição merece ser comemorada, inclusive em função do fortalecimento das parcerias. “Nós temos o papel de juntar essas partes novamente”, afirmou. “Estamos vivendo num País em crise ambiental. Aliás, o mundo está próximo ao colapso e ainda assim está sob forte negação do conhecimento. São negados o aquecimento global, as mudanças climáticas, o desmatamento e outros fatos”, alertou.

     O simpósio

     O simpósio é uma promoção da Sociedade Ambientalista Brasileira no Cerrado (SABC), com apoio do Ministério Público de Goiás (MP-GO) e mais outras 36 entidades, com início na manhã desta quarta-feira (13/11), no Auditório Ipê da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO). Com ampla programação, o evento abre um espaço de diálogo sobre temas ambientais como o aquecimento global e mudanças climáticas; a ocupação e uma nova concepção do território; educação e globalização e, também, sobre a gestão pública ambiental.

     Homenagens

     A programação inaugural contou com apresentações culturais e homenagens. Receberam troféus e certificados o realizador do primeiro simpósio, professor Marco Antônio Sperb Leite, e o Corpo de Bombeiros, pela operação Cerrado Vivo, realizada pela corporação, com objetivo de prevenir incêndios na vegetação. Na sequência, foi prestada uma homenagem póstuma ao professor e servidor Augusto Avelino, do Ibama.

     Ainda como parte das celebrações, dez integrantes de cooperativas e associações, principalmente as ligadas ao serviço de coleta seletiva e de reciclagem de materiais foram agraciados com medalhas de mérito da sociedade e diplomas, em reconhecimento aos trabalhos desenvolvidos. O promotor foi presenteado com produtos do Cerrado.

     Programação

     A programação científica começou ainda no turno matutino, com uma roda de conversa mediada pela professora Luciene Martins e que reuniu mais de 16 participantes, entre professores e representantes de instituições públicas e privadas, inclusive o MP-GO, por meio do promotor de Justiça Juliano de Barros. A mesa teve como tema principal SOS Cerrado: um diálogo ambiental, cujas abordagens foram voltadas para os conceitos e mudanças climáticas, aquecimento global e mudanças climáticas, ocupação e uma nova concepção do território, educação e globalização e a gestão pública ambiental.

     Na turno vespertino, estão previstas diversas rodas de conversa, tais como as que tratarão do agronegócio e transformações do Cerrado na Região Sul de Goiás, a biodiversidade botânica no Cerrado, identificação de plantas para reflorestamento, regularização ambiental, entre outras. Além disso serão apresentados projetos ambientais e realizados eventos integrados como o 17° Jovem ABC, de iniciativa Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), para a adoção de práticas sustentáveis em propriedades rurais.

     Entre as atividades do período da tarde, duas contam com a participação de representantes do MP-GO. Uma delas começa às 13h30, na Sala Pequi, sobre a educação ambiental na Bacia Hidrográfica do Rio Meia Ponte, com a assessora jurídica da Área do Meio Ambiente e Consumidor do Centro de Apoio Operacional, Camila Santiago Ribeiro , que falará sobre o tema, ao lado de Leonardo Teófilo, da Secretaria Estadual de Educação, e Thalita Rêgo, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).

     A partir deste mesmo horário, na Sala Vereda, a analista da Coordenadoria de Assessoramento à Autocomposição Extrajudicial (Caej) abordará o tema Gestão de Solo e Água em Bacias Hidrográficas do Cerrado, junto com o engenheiro florestal da Emater Léo Lince do Carmo Almeida e o engenheiro agrônomo Henrique Luiz de Araújo Costa da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes).

     Os participantes ainda podem conferir produtos, trabalhos, comidas típicas e artesanatos da Feira ExpoCerrado, montada no hall da Área I, Blocos G e H, da PUC-GO. (Cristiani Honório - Fotos: Brenda /Assessoria de Comunicação Social do MP-GO).

     

Untitled Page
JORNAL          SUDESTE